Tanta bunda é pros olhos uma festa!

É fresca, apetecível e rotunda 
Como a fruta que o nome a ela empresta!

Suave como a aura que a circunda,
Sem estria, sem ângulo ou aresta, 
É doce como o som de uma seresta 

É absoluta, não há uma segunda.
Objeto de desejo dos mortais, 
Ela impera sozinha, disputada pelas TVs, revistas e jornais.

Mais bela que qualquer donzela frígia,
 Ela é a expressão maior e mais ousada 
Da verdadeira Vênus calipígia!

02/07/2008 
Em memória de Isaac Bardavid