• 天の道を往き、全てを分かる男

    O Poço (entre Maximino e Platão)


    Platão escrevia em diálogos, já eu, dialogo escrevendo.

    [10:56, 11/04/2020] Maximino Santos: Vi O Poço ontem.
    Mereceria mais um, abordando mais coisas. Mas é bem detalhista no que quer transmitir.
    [12:40, 12/04/2020] イザナミ: 😎
    [12:40, 12/04/2020] イザナミ: É bem filosófico né!
    [12:40, 12/04/2020] イザナミ: O combo filosofia e sociologia
    [13:12, 12/04/2020] Maximino Santos: Sim. Realmente.
    Há muitos olhares para produções assim.
    Gostei dele.
    [13:12, 12/04/2020] イザナミ: Você entendeu a panacotta?
    [13:13, 12/04/2020] Maximino Santos: Sim.
    O doce, a mensagem e a criança.
    [13:13, 12/04/2020] イザナミ: O que você entendeu amigo?
    [13:14, 12/04/2020] Maximino Santos: Queria que tivesse mais um para abordar mais esteriótipos.
    O velho, a mulher, o negro,... Faltou muito mais gente.
    [13:14, 12/04/2020] イザナミ: É muito complexo para os populares
    [13:14, 12/04/2020] イザナミ: Simmmmm
    [13:14, 12/04/2020] イザナミ: O negro é muito emblemático
    [13:15, 12/04/2020] イザナミ: A funcionária frustrada
    [13:17, 12/04/2020] Maximino Santos: Mensagem não simbólica. Fácil de comer.
    Afinal é a criança.

    O interessante é que o doce é um spoiler onde, na administração, o retorno seria por conta de um fio de cabelo. (O que faz sentido, pois a administração não entenderia "essa mensagem". Quem compreende é somente os habitantes do poço.

    O positivo disso é que o doce não volta, mas sim a menina (com a mensagem).
    [13:18, 12/04/2020] Maximino Santos: A comunista, vegana, amante dos animais, LGBTs, e outras bandeiras representadas ali.
    [13:18, 12/04/2020] イザナミ: É o óbvio rs
    [13:19, 12/04/2020] Maximino Santos: Achei maravilhoso a interação dele com o casal cristão (único casal #Familia)
    [13:19, 12/04/2020] イザナミ: Exatamente!!
    [13:19, 12/04/2020] イザナミ: Que caga nele
    [13:20, 12/04/2020] イザナミ: Esse filme é uma jóia!!
    [13:20, 12/04/2020] Maximino Santos: Sim. É a hipocrisia encenada (quase um pleonasmo)
    [13:20, 12/04/2020] イザナミ: E a personalidade serviçal do negro?!
    [13:20, 12/04/2020] イザナミ: Que dá a vida pelo idealismo do branco intelectual
    [13:21, 12/04/2020] Maximino Santos: O cristão (protestante, católico, espírita) finge a caridade, mas não salva o necessitado. Presos à conveniência da administração. Prendem a corda, mas não dão a mão. Não andam a segunda milha.. enfim. Oferta da viúva, oferta do fariseu.
    [13:22, 12/04/2020] イザナミ: Nó...você pegou todos os detalhes!!



    [13:23, 12/04/2020] Maximino Santos: Mesmo confrontado..

     (vc é o escravo negro dele disse o "malandro" com cara de latino "também escravizado")

    O negro segue assim.
    [13:23, 12/04/2020] イザナミ: Exatamente!!!
    [13:23, 12/04/2020] Maximino Santos: Não é um filme difícil.
    [13:24, 12/04/2020] Maximino Santos: Isso me mostra o quanto estou distante
    [13:24, 12/04/2020] イザナミ: Achei uma pegada meio Tarantino
    [13:24, 12/04/2020] イザナミ: E o que você achou do velho?
    [13:25, 12/04/2020] イザナミ: Pra mim ele é a ponte
    [13:25, 12/04/2020] イザナミ: Rsrs é por causa da "violência "
    [13:26, 12/04/2020] イザナミ: A cena que o velho amarra ele eu achei cômica há
    [13:26, 12/04/2020] イザナミ: Hahahaha *
    [13:26, 12/04/2020] Maximino Santos: Ele é a mente (do além do humano) que puxa para cima.
    É o profeta.
    É o que diz como é e como deve ser.
    É a criação de realidade num habitat sem sentido.
    [13:27, 12/04/2020] イザナミ: E a história do velho
    [13:27, 12/04/2020] イザナミ: De como ele vai parar lá
    [13:29, 12/04/2020] Maximino Santos: A história ele inventou. Não importa muito.
    O que ele quer dizer é que não há escolhas certas ou acertadas. De qualquer forma, vc paga o que fez.
    O que vc faz com esse "castigo" é o diferencial.
    [13:29, 12/04/2020] イザナミ: Simmmm
    [13:29, 12/04/2020] イザナミ: Mas essa faca existiu já
    [13:30, 12/04/2020] イザナミ: Achei que a história dele sensacional
    [13:30, 12/04/2020] イザナミ: O personagem principal é um otário
    [13:33, 12/04/2020] イザナミ: Na real se ele quisesse destruir o sistema
    [13:33, 12/04/2020] イザナミ: Era só matando a admissão
    [13:33, 12/04/2020] Maximino Santos: Que acha que sabe o que está fazendo.
    Que parece estar passando férias na vida real.
    [13:34, 12/04/2020] イザナミ: Administração *
    [13:34, 12/04/2020] イザナミ: Motim
    [13:34, 12/04/2020] イザナミ: Ele quer destruir pela contradição
    [13:34, 12/04/2020] イザナミ: Marxista rs
    [13:35, 12/04/2020] Maximino Santos: A vida sem dinheiro/sem trabalhar. Aqui fora.

    Viver da natureza.

    Por isso menores não entram no poço. O que na verdade acontece. Trabalho infantil e escravo tá aí, aqui e lá (no filme).
    [13:36, 12/04/2020] Maximino Santos: Falei uma vez em 2013 nas manifestações e no meu video da Democracia.

    Se não pegarmos as armas.. não vamos levar comida aos do 50 para baixo.
    [13:37, 12/04/2020] イザナミ: Exatamente
    [13:38, 12/04/2020] イザナミ: O ego dele
    [13:38, 12/04/2020] イザナミ: É uma escravidão
    [13:38, 12/04/2020] イザナミ: Uma cegueira
    [13:39, 12/04/2020] Maximino Santos: É um diagnóstico preciso da sociedade urbana atual.
    O cara inclusive tem barba (e um livro).
    [13:39, 12/04/2020] イザナミ: Odeiooo
    [13:39, 12/04/2020] イザナミ: Hahahaha
    [13:39, 12/04/2020] イザナミ: Um livro
    [13:39, 12/04/2020] イザナミ: Claramente bolha
    [13:40, 12/04/2020] イザナミ: E o que me enjoa é uma galera que é caracol
    [13:41, 12/04/2020] イザナミ: E viu o filme sem se identificar
    [13:41, 12/04/2020] Maximino Santos: O livro que reflete ele.

    Dom Quixote é europeu. E lutava com moinhos achando que eram gigantes.
    Era um homem honrado, um cavaleiro (na sua ilusão).
    [13:41, 12/04/2020] イザナミ: Dom Quixote era maluco beleza
    [13:42, 12/04/2020] イザナミ: Ñ tem sentido ler dom Quixote prs salvar o mundo
    [13:42, 12/04/2020] Maximino Santos: Mas é assim que surgem os revoltados
    [13:43, 12/04/2020] イザナミ: Nem dalai lama mudou
    [13:43, 12/04/2020] イザナミ: Os dalai lama ñ mudaram
    [13:44, 12/04/2020] Maximino Santos: Ninguém quer deixar de ser o que lhes dizem que é. 

     

    Música

    O profeta do Óbvio