Home » » A Dança de Shiva

A Dança de Shiva

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010 | às 14:23

Este ano completei 10 anos como baterista. Sou autodidata, sempre estudei sozinho ou trocando idéias com outros bateristas, seja nas igrejas, na família, ou nos fóruns pela Internet. Graças ao Criador, descobri meu estilo. Cada baterista tem um estilo único, sendo impossível julgar quem é o melhor drummer do mundo. As experiências de vida, o que se vê, o que se ouve, o que se sente, a fé, o grau de instrução, educação e outros moldes da personalidade estão presentes na execução desse instrumento. ... na postagem de terça-feira, 28 de setembro de 2010 - Verdades, Palavras de Satanás; eu afirmo ter uma paixão escondida, e ela, foi quem mais me influenciou no estilo de tocar bateria e na criação de uma técnica própria.



Essa é uma representação do deus hindu Shiva Nataraja (o Senhor da Dança). Ele realiza uma dança divina para destruir o universo (criar o caos) e fazer os preparativos para iniciar um novo processo de criação. 

  •  A mão direita superior leva um pequeno tambor em forma de ampulheta que simboliza a origem do som da criação. 

  • A mão esquerda superior contém Agni ou fogo, que simboliza a destruição.
[Os conceitos opostos nas mãos de cima mostram a contraposição de criação e destruição.]
  • A mão direita inferior simboliza o destemor, conferindo proteção contra os do mal e da ignorância para aqueles que seguem a justiça. 

  • A mão esquerda inferior aponta para o pé levantado, o que simboliza elevação e libertação. 

  • O anão, que está sob os pés de Shiva, simboliza a vitória sobre a ignorância (ego). 

  • Os cabelos longos de Shiva com tranças emaranhadas, geralmente amontoados em um nó, soltam-se durante a dança para colidir com os corpos celestes, tirando-os de seus cursos ou destruindo-os totalmente. 

  • As chamas em torno da dança representam o ciclo do ego, que passa por nascimentos e renascimentos sem fim, antes de alcançar a salvação. 

  • A cobra que se desenrola a partir de seu antebraço direito inferior é Kundalini, a shakti ou a força divina (Ki, Chi, Cosmo, Prana, Energia Vital,...) que reside dentro de tudo o que é vivo. 

  • O rosto estóico de Shiva representa a sua neutralidade, o seu equilíbrio.
...Portanto, a dança de Shiva tem dois momentos: Lasya (dança suave), associada à criação do mundo e à harmonia do cosmos. Tandava (dança violenta), associada à destruição das visões de mundo e renovação da mente. Na verdade, a Lasya e a Tandava são os dois aspectos da personalidade de Shiva, pois ele destrói para criar e derruba para construir um novo.

(...)

A técnica: "Dança de Shiva", contém todos esses elementos, na qual atribuo razão à todos os toques, pausas e movimentos, vistos como uma arte em que o autor e a obra que ele cria são uma e a mesma coisa.






Fontes: Shiva as Nataraja - Dance and Destruction In Indian Art http://www.exoticindiaart.com/article/nataraja Elefanta: A Caverna de Shiva Por Berkson Carmelo, Wendy Doniger, George Michell Shiva como "Dançarino Cósmico": Pallava, origens para o bronze por Nataraja Sharada Srinivasan no Congresso de Arqueologia (2004) 36 (3), páginas 432-450 A Practical Sanskrit Dictionary. Delhi: Motilal Banarsidass Publishers. O Livro das Imagens hindu. Havelte, Holland: Binkey Kok Publications Hinduísmo Passado e Presente. Princeton, New Jersey: Princeton University Press.

4 comentários:

Blank